Corrente em Ouro: História, Importância e Nobreza.

Deixe um comentário

Corrente em Ouro: História, Importância e Nobreza.

Sempre presente entre as joias mais apreciadas pelos consumidores, as correntes em Ouro tem uma rica história de evolução, tradição e excelência.
Vamos entender um pouco sobre as correntes de ouro: como era surgiram, sua importância histórica, seu processo de fabricação e como elas movimentam o mercado em termos de Design e tendências.

História

Não se sabe ao certo como e quando as correntes em ouro surgiram, mas o fato é que os primeiros registros destas joias foram encontrados na região da Mesopotâmia (atual Iraque) e datam
De 3000 anos A.C.
Figurando no imaginário da população desde a época da expansão mercantil – quando conquistaram a nobreza e a elite inglesas, imprimindo o símbolo de luxo à peça –, as correntes em ouro eram comumente utilizadas pelos membros mais abastados, ricos e poderosos da sociedade.
Sua popularidade cresceu ainda mais durante a época vitoriana, quando ganhou o valor sentimental ao compor medalhões e suvenires. Mas o seu sucesso não se restringia ao Reino Unido: na França, eram símbolo de autoridade e fidelidade.
Foram os italianos que associaram as correntes em Ouro a conceito de design, qualidade e beleza: produzindo as joias desde o Renascimento, eles desenvolveram técnicas diferenciadas de fabricação, aprimorando-as pelas mãos de ourives do calibre de Benvenuto Cellini, Andréa del Verrocchio e António de Jacopo Pollaiuollo. Até hoje essa metodologia, tradicional, é ensinada em instituições de formação de ourives, atitude que perpetua o legado de excelência implantado pela Itália.

Produção

Até o século 17, os fios em Ouro eram submetidos a um trabalhoso processo, no qual eram martelados e puxados até ficarem bem finos. O elos eram formados através de solda e encurvamento.
Na era moderna foram desenvolvidas novas tecnologias que permitem a fabricação de correntes em ouro em larga escala, de maneira mais simples é muito ágil, capaz de dar forma às mais diferentes malhas, de diversas espessuras, em diferentes tons de ouro – variando a tradicional correntinha ouro amarelo às correntes em ouro branco e rosa, e até mesmo, tricolor.

Simbologia

Pessoas de todas as classes sociais podem Ostentar, sem culpa, um sonho de consumo. As correntes hoje fazem parte do cotidiano de todos, sendo praticamente Um item básico das tendências de mercado.
O teólogo James Montgomery Voice dizia que cada Elo de uma corrente dourada representa as ações de Deus para os homens. Na crença cristã, a corrente em ouro tinha um significado muito forte: unir Deus aos homens. Segundo Homero, Deus ordenou que se prendesse uma corrente dourada entre o céu e a terra, dando a esperança ao homem de que ele poderia alcançar a perfeição e pureza de espírito, guiando-se por um bom caminho.

Tipos de Elos

Existem vários tipos de Elos de corrente, os mais utilizados são os modelos : Cartier ou Cadeado, Elo Tijolinho, Veneziana ou Quadrado, Elos Groumet simples e Groumet Duplos e Elos Groumet com pino atravesado, Elos Fígaro 3X1, Elo Português, Elo Piastrine ou Laminado, Elo Singapura. Os elos mais resistentes são os de corrente maciças com uma peso total considerável, como por exemplos os Elos Cartier (Cadeado), Português, Groumet e Fígaro.

Mercado

O crescimento do mercado brasileiro leva à busca de novas tecnologias, maquinário e técnicas de fabricação. Assim, as correntes em ouro produzidas aqui contam com um parque fabril de produção em escala Industrial. Trata-se de um trabalho hábil, que vai dar fundição do metal até a colocação dos acabamentos – o que garante o atendimento de toda a demanda do mercado nacional e até mesmo do internacional.
Esse é um reflexo do investimento feito pelas indústrias brasileiras em tecnologia e capacitação de profissionais. O resultado é uma corrente brasileira que, além da qualidade insuperável, também se preocupa com a redução de peso, com a qualidade no acabamento, com a resistência do produto e, é claro, com a beleza das peças. O número de modelos produzidos atualmente contempla uma gama muito ampla, com a característica do nosso povo.
Antes é importante lembrar que, independentemente do motivo que leva uma pessoa usar uma corrente de ouro, as peças têm lugar garantido em todo o mundo. Seja com o símbolo de status, como objeto de valor afetivo ou estético, e até mesmo, como complemento na criação de outras joias, com pulseiras, brincos e gargantilhas, escapulários tornozeleiras e etc.